No Brasil os programas de pós-graduação são credenciados e avaliados quadrienalmente pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que atribui o conceito de 3 a 7 ao curso dependendo da sua performance. O menor valor refere-se a um curso com avaliação satisfatória e com autorização para funcionamento apenas em nível de mestrado. Já a nota 7 refere-se a um programa cujo nível é equiparável aos melhores cursos da área no exterior. Periodicamente os comitês de área (ex: Biodiversidade) se reúnem e elaboram os chamados Documentos de Área, que trazem os principais indicadores de cada área do conhecimento para serem usados como base para dos critérios de avaliação dos programas. Em 2009 a CAPES autorizou a abertura do PPGECB com conceito 4 e em 2011 o programa abriu sua primeira turma de doutorado. Desde sua abertura o programa tem sido muito bem avaliado pela CAPES, e na última avaliação (quadrienal 2017) o programa alcançou o conceito 5 e já começou a trabalhar rumo ao 6!
 
Aqui são apresentados alguns documentos da CAPES que norteiam ou avaliam nosso programa:

Avaliação quadrienal

O documento traz uma avaliação da produção, inserção e conceito do programa durante o quadriênio 2013-2016.

Documento de área 2013-2016

Neste documento são colocados de forma bastante objetiva os critérios usados pela CAPES para avaliar os programas. 

Ficha de autorização CAPES para abertura do Doutorado do PPGECB

Documento que traz um panorama geral do curso recém-iniciado de mestrado e os motivos que levaram a CAPES permitir a abertura de um doutorado antes mesmo da defesa da primeira turma de mestrado.

Lista Qualis CAPES para a área de Biodiversidade

A planilha mostra a lista das revistas com qualis no quadriênio 2017-2021 nos diferentes extratos Qualis CAPES.